Livros

Entre Menções Honrosas, premiados e o diverso humorado de participações locais, nacionais e estrangeiras, o riso tematizado às eleições trouxe criatividade, carisma composicional e muito pano às mangas de desenho plástico contextualizado à cultura de cada sítio, ou território representado no 6º. Salão Medplan de Humor! 2014.
Newton Dias Silva (Fortaleza – CE), “Voto de Cabresto”. Uma mão gigante segura o eleitor pelo tronco e leva-o até a urna eletrônica. Segura-o no ar e ordena: “VOTE!” e o eleitor, apavorado, diz: “SIM, SENHOR”. Detalhes, há duas baratas, ou besouros pretos, no chão e comentam: “ÉGUA!”.

“O Livro dos Políticos”, de Heródoto Barbeiro e Bruna Cantele

O chargista Newton Silva foi um dos convidados para participarem do “O Livro dos Políticos”, escrito por Heródoto Barbeiro e Bruna Cantele. Na obra, eles fazem um passeio bem-humorado pela história da sociedade brasileira, em que o fio condutor é a sucessão presidencial. Dividido em blocos – Denúncias e Escândalos; Ah! Esses jornalistas…; Diário da Corte; Personalidades, entre outros – o livro é ilustrado por charges de cartunistas como Diogo Salles, Flávio, Gilmar, Guz, Léo Valença, Mangabeira, Néo, Luiggi Rocco, Renato Machado, Sponholz, Newton Silva e Zappa. Além disso, há notas cronológicas e trechos de jornais impressos para mostrar ao leitor as crises e escândalos que fazem parte do cotidiano da política nacional. “O Livro dos Políticos” não se dedica apenas aos líderes de Estado: os planos econômicos, as trocas de moedas, os inúmeros partidos políticos, os intermináveis escândalos e as CPIs são relembrados em suas 304 páginas.

O casamento de Zé Teatro com Maria Escola

Autor: Crispiniano Neto – Ilustrador: Newton Silva

Texto de teatro que narra a história da dissociação entre arte e escola, ocorrida a partir do Positivismo.

De forma bem humorada, valendo-se da citação de cordéis, repentes e trechos do cancioneiro, o autor vai construindo diálogos sobre a importância da interdisciplinaridade e contextualização para melhoria da aprendizagem.

Um boneco chamado mamulengo

A autora é Graças Freitas, historiadora, diretora teatral, atriz de teatro, rádio, televisão e manipuladora de bonecos. O livro conta a história do boneco e sua capacidade de comunicação. Refazendo a trajetória do boneco no teatro, no rádio e na TV, revela, desde sua origem, antes de Cristo, a sua utilização em todos os continentes. Conhecido indistintamente como mamulengo, marionete ou boneco, tem divertido adultos e crianças com sua irreverência e uma linguagem escrachada; 22 páginas; Brochura; Publicado pela Fundação Demócrito Rocha. Ilustrações de Newton Silva com interação com os bonecos confeccionados por Vitória Alves que é atriz, bonequeira e arte-educadora.

  1. ALAERCIO FLOR disse:

21 de setembro de 2011 às 11:32

Genial este moço que faz jornalismo com imagens criativas e texto, o Sr.Newton Silva,filho do grande jornalista Nemésio Dias Silva.